Tchéquia sobrenatural

Para os amantes do sobrenatural e da fenomenologia à beira do impossível, sugerimos um itinerário por toda a República Tcheca, que também permite descobrir recantos de tirar o fôlego, e alguns dos monumentos menos conhecidos do rico patrimônio cultural deste país centro-europeu, sempre surpreendente.

Por: Javier Mazorra

Publicado: Septiembre 26, 2019

Na Tchéquia há muitos lugares com um passado "enigmático". É uma soma espetacular de lendas na fronteira entre o real e o irreal, e um número quase infinito de fenômenos misteriosos. Já são bem conhecidos lugares repletos de segredos e de fantasmagorias, como o carismático Castelo de Praga; a esotérica  "Parábola com Crânio", de Jaroslav Róna; o Museu dos Magos; e o antigo Bairro Judeu, aonde você poderá seguir várias rotas dedicadas a personagens tão inquietantes quanto o escritor Kafka. Na longa e mística relação estão os muitos cemitérios da capital tcheca, tantas vezes relacionados a tristes histórias de raiz literária, mas também ligados a todos os tipos de heróis e vilões, de carne e osso, que acabaram se tornando lenda.

 

Os trinta fantasmas da igreja de São Jorge, em Luková - É difícil encontrar algo tão perturbador e misterioso como o interior desta pequena joia arquitetônica, construída no século 14 em um recanto esquecido, ao Noroeste da Boêmia. Após sofrer todos os tipos de humilhações e de desgraças ao longo de sua história trágica, este templo em ruínas experimentou um vislumbre de emoção através de supostos trinta fantasmas, feitos realidade pelas mãos do artista Jakub Hadrava. A entrada é grátis e, habitualmente, abre em praticamente todos os dias do ano. 

 

As misteriosas relíquias de São Valentim na Igreja de São Pedro e São Paulo de Praga - Além do famoso Castelo de Praga, há outro na capital tcheca, que é o Vyšehrad. Ele está localizado na margem oposta do Rio Moldava, e inclui em seu entorno uma igreja impressionante, famosa em Praga por um curioso carrilhão que pode ser ouvido a cada hora. É famoso também por seus extraordinários afrescos modernistas, obras de František Urban e sua esposa, Marie Urbanová-Zahradnická, inspiradas em Alfons Mucha. Menos conhecida é a sua coleção de tesouros, que inclui o inquietante omoplata de São Valentim, doado pelo imperador Carlos IV à esta basílica, no século 14, e redescoberto em 2012. Desde então, uma missa especial é dedicada ao santo, sempre no dia 14 de fevereiro. Para visitar todo o conjunto é necessário pagar ingresso.

 

O braço do ladrão da Igreja de Santiago, em Praga - Fora dos circuitos turísticos, a Sv Jakuba Vetsiho – como é mais conhecida a igreja dedicada ao Apóstolo Tiago (St. James) é um dos segredos mais bem guardados da capital tcheca. É aconselhável visitá-la em dia de concerto de órgão, mas também desperta curiosidade especial o enorme interesse arquitetônico e musical que projeta. Ali é mantida uma curiosidade, no mínimo, bizarra: o braço mumificado de um suposto ladrão que teria tentado apoderar-se da imagem da Virgem Maria.  Segundo a lenda, Maria o agarrou com tanta força que ele não conseguiu se soltar. Para resgatá-lo, acabaram por lhe decepar o braço, que jaz pendurado, desafiadoramente, em uma das paredes do templo. Para visitar todo o conjunto é necessário pagar ingresso.

 

A Santa Santorum dos alquimistas de Praga - Na República Tcheca há  vários museus dedicados ao mundo da alquimia, mas nenhum é comparável ao Speculum Alchemiae. Está localizado em um dos edifícios mais antigos da cidade. Acredita-se que ali, no século 16, nos sótãos foi criado um laboratório alquimista secreto, por ordem do imperador Rodolfo II. A tarefa principal dos alquimistas era criar ouro, ou a pedra filosofal, ou o elixir da eterna juventude. Rodolfo II convidou muitos alquimistas, astrônomos e cientistas para a sua corte,  em Praga, e alguns deles trabalharam neste laboratório, como o rabino Baixo; Tycho Brahe; Tadeas Hajek de Hajek; Johannes Kepler, entre outros. Um lugar fascinante! www.alchemiae.cz/

 

Os crânios pintados do ossuário da igreja de Krtiny - A igreja barroca deste recanto do cársico morávio é uma das joias da herança religiosa tcheca. Projetada pelo grande arquiteto Santini (Jan Blažej Santini-Aichel, 1677-1723, em Praga), esta igreja é um dos grandes centros de peregrinação na Europa Central, há séculos. Poucos visitantes sabem que é também o depositário de um impressionante ossuário descoberto ao final do século 20, que inclui doze crânios. Em cada um deles, há uma coroa de louros desenhada a carvão. Ao centro da parte frontal há uma grande letra T, a qual, especula-se, pode ser uma representação do Tau grego, alusivo ao texto da Bíblia que narra o pedido de Deus ao profeta Ezequiel, para viajar por Jerusalém e desenhar a letra Tau na testa dos que se lamentavam das atrocidades perpetradas na cidade. www.czechtourism.com

 

Os labirintos subterrâneos de Znojmo - Entre as cidades tchecas que têm duplicidades subterrâneas, Znojmo ganha destaque. Esta pequena joia ao Sudoeste da Morávia, bem próxima à fronteira austríaca, é famosa por seus vinhos e excelente gastronomia. A visita tradicional leva a investigar a história dos labirintos nas cavernas, porém, é muito mais gratificante e divertido mergulhar no mundo de mistério e fantasia, proposto através do espetáculo Mysterious Underground. Trata-se de cativante alegoria que dá vida às pedras, recria um laboratório de alquimistas e leva a desfrutar de uma incrível viagem ao passado. 

 

Caverna do Inferno de Cvikov - Escondida em uma frondosa floresta no vale do Rio Svitavka, muito perto da fronteira tríplice entre a República Tcheca, a  Alemanha e a Polônia, esta é a maior caverna artificial da Europa. Foi escavada  durante o século 18, para a obtenção de um tipo de areia próprio para a fabricação de espelhos. Durante a Segunda Guerra Mundial, foi usada pela Resistência como uma fábrica clandestina de munição. Até que se tornou a sede do Clube dos Motociclistas do Inferno, que a transformou em incomum circuito de corridas. As cavernas, abertas ao público, contam com um pequeno bar que fica junto ao serviço de restauração de motos. 

 

O artístico ossuário de Sedlec, em Kutnà Hora - É inexplicável o fato de Kutnà Hora não ser mais conhecida do que é, embora declarada Patrimônio da Humanidade há mais de meio século, em 1961, por conta do seu impressionante acervo arquitetônico. Localizada cerca de 80 km ao Leste de Praga, Kutnà Hora tem no bairro de Sedlec algumas das suas mais importantes construções. Entre elas, uma impressionante catedral e um cemitério que guarda um tesouro macabro. Para descobri-lo, você terá que entrar em uma pequena capela subterrânea, escondida sob uma igreja barroca.  Então, você verá mais de quarenta mil esqueletos humanos, arranjados com arte para transformar o espaço em incomum salão palaciano. Um enorme candelabro, guirlandas, ostensórios, móveis e escudos, todos feitos de ossos humanos, formam um lugar indescritível. É aberto ao público, mediante ingresso pago.

 

O enigma do ossuário de Mělník - Trinta quilômetros ao Norte da capital tcheca, a pequena Mělník, cidade com cerca de vinte mil habitantes, não compete com alguns dos seus vizinhos em termos de arquitetura histórica, embora seu castelo seja espetacular, e seu centro urbano, bem agradável, organizado e colorido. Mělník também tem o seu ossuário, relacionado à Guerra dos 30 Anos e com curiosa história. Foi utilizado até 1775, ano em que foi desativado o cemitério anexo, ao lado da igreja. Então, de acordo com a ordem territorial datada de 16 de agosto de 1787, os ossos empilhados em ossuários deveriam ser enterrados no subsolo. Em Mělník, eles resolveram à sua maneira: simplesmente, vedaram as janelas e a entrada do ossuário. Em 1910, o antropólogo Jindrich Matiegka reabriu o recinto, reorganizando os ossos segundo seus próprios princípios teológicos, conferindo um ar de filme de terror que atrai muitos geeks (excêntricos). A cripta é aberta ao público. (www.atlasobscura.com/places/melnik-chapel-bones)

 

As múmias de Vamberk no Mosteiro de Broumov - Não fosse por sua localização no extremo Nordeste do país, na fronteira com a Polônia, a Broumov de apenas sete mil habitantes seria muito mais conhecida e atrativa, especialmente, após a importante restauração do seu espetacular mosteiro, que o tornou um dos monumentos, abertos à visitação, mais significativos da República Tcheca. Entre os muitos segredos que esconde, estão várias dezenas de múmias, originárias da cripta da Igreja de São Procópio, localizada  em Vamberk. Esta é outra cidade na Boêmia do Leste, a qual, no século 17, se tornaria uma das capitais europeias da fabricação de rendas. Uma das múmias é Magdalena Grambová, que veio da Bélgica e foi, na Tchéquia, a introdutora da tradição da renda de bilro. Para visita ao mosteiro, que é repleto de atrações, inclusive, uma réplica do Sudário de Turim, o ingresso é pago.

 

Em Brno, o segundo maior ossuário da Europa – É somente o ossuário de Paris que conta com maior número de esqueletos do que naquele que existe em Brno, capital da Moravia do Sul. O ossuário está nos arredores da Igreja de St. James, e nele, por volta de 50 mil esqueletos repousam em misteriosas passagens, por um bom tempo fechadas, e reabertas em 2001. Somado ao conjunto de adegas e labirintos sob a Zelný trh (Praça do Mercado de Vegetais), o ossuário forma o núcleo central do emblemático Brno subterrâneo. A cada meia hora, são oferecidas visitas guiadas aos subterrâneos para grupos com, no máximo, 20 pessoas.

 

Panteão dos Capuchinhos de Brno - A Igreja do Descobrimento da Santa Cruz, em frente à principal estação ferroviária de Brno, capital da Moravia é,  sem dúvida, um dos grandes monumentos da cidade e um marco da arte rococó na República Checa. Porém, muitos dos que visitam este mosteiro dos Capuchinhos o fazem para conhecer o espetacular panteão construído no século 18 sob a igreja. É aonde estão, perfeitamente conservados e à vista, os restos mumificados dos membros da Ordem que já se foram, assim como dos seus protetores e de ilustres personalidades de Brno. A oportunidade pode ser aproveitada para visitar a exposição Ars Moriendi, que relata a descoberta das pinturas do século 17 encontradas na capela de Loreto, no Castelo de Praga.

Canales relacionados

Experiencia de viagem